Brasil, Paraíso Restaurável

Sebastiao Salgado, depois de ficar 10 anos restaurando a Mata Atlântica na fazenda do pai, rodou o planeta para fazer o seu livro, para mim, mais importante: "Genesis" (2014).


Neste livro, Salgado deixa o humano como personagem, e foca na Terra, viajando por todo o planeta por 8 anos.


As fotos comprovariam a tese que 90% do planeta ainda está na sua forma original, como no tempo da Criação.


O velho economista, socialista e fotógrafo, deixa uma mensagem de otimismo sobre o fato de que podemos reverter em favor do planeta azul.


Agora, em 2020, Jorge Caldeira (o jornalista e competente professor da USP, autor de livros antológicos, em especial "A Historia da Riqueza no Brasil" (2017), o melhor livro sobre o Brasil que já li), publica um livro intitulado: "Brasil, Paraíso Restaurável".


Tirando proveito da parada do Mundo pela COVID, o livro mostra como a agenda ESG evolui com liderança da Alemanha, que puxa a Comunidade Europeia com o Green Deal, e a China, que colocou seu Dragão voltado para a meta de levar quase 2 bilhões de pessoas para uma situação de neutralidade em carbono.


Interessante ver o impacto das pessoas físicas ao longo do planeta, como protagonistas da mudança da matriz energética, e o caminho tímido dos USA, apesar do esforço pioneiro de Carter meio século atrás.


O objetivo dos autores, neste contexto, é de alertar que o Brasil é uma potência energética, porque tem os rios com quedas, as matas, tecnologia de biomassa, o sol, o vento e o subsolo, ou seja, tudo em abundância.


Temos, portanto, a capacidade de ter a maior e melhor matriz energética do mundo, desde que seja possível pensar estrategicamente sobre o futuro, e legislar em prol deste, hoje.


O Mundo clama por um sinal, um gesto, para que o Brasil seja inundado de recursos e boa vontade, para que seja transformado em uma Potência Verde.


O livro tem propostas realistas e vale muito a leitura. Poderia botar aqui a foto da capa do livro, mas não o farei porque desconfio, à distância, que Jorge não é o maior protagonista deste, pois a foto na orelha do livro mostra que o mesmo foi feito em conjunto com Julia Sekula, 27, e Luana Schabib, 34. Portanto, desconfio que coube à Caldeira coordenar o trabalho, e fornecer o seu banco de dados fantástico, para que uma economista e uma jornalista / publicitária pudessem ser a força motriz desta obra tão atual, tão instantânea, e tão necessária. Jorge, se for como eu, sabe que só se pode manter-se contemporâneo através dos olhos dos jovens.


Deixo aqui a foto que diz mais que mil palavras sobre Jorge Caldeira, que tanto tem feito pelo Brasil em seus trabalhos.


101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo